• Matheus Dantas

A CAMINHO DA LUA | CRÍTICA E ANÁLISE DA NARRATIVA

Atualizado: Jan 6

Mais uma das animações originais da Netflix um filme que entrou para a lista de mais assistidos desde sua estreia. Indo além de uma produção infantil, sua história deixa lições e aprendizados para adultos nas entrelinhas. Nesse post eu compartilho o que achei do film e minhas principais considerações a respeito da narrativa, incluindo uma breve análise da estrutura da Jornada do Herói.

Resenha e Análise da Narrativa Filme Netflix A Caminho da Lua

Sobre o filme


Fei Fei é uma garota que constrói uma nave espacial para provar a existência de uma deusa que supostamente mora na lua. Ela conhece criaturas fantásticas que irão ajudá-la em sua missão, enquanto precisa lidar com algumas questões internas relacionadas à sua família. O filme foi dirigido por Glen Keane, já conhecido por outras animações, e produzido por Gennie Rim e Peilin Chou. Confira o trailer abaixo.

Quando comecei a assistir, eu não sabia que se tratava de um musical, com bastante diálogos entre uma música e outra. Desde as primeiras cenas eu senti que parecia muito um musical da Broadway e quem sabe não aconteça uma adaptação para os palcos. Ressalto que assisti a versão dublada, por conhecer alguns dos atores que fizeram a dublagem.


Esse post contém spoilers de A Caminho da Lua.


Análise da narrativa


Estudo dramaturgia e gosto de assistir séries, filmes e musicais para entender como as histórias são contadas. Abaixo, compartilho o que estou aprendendo e o que consegui identificar de técnicas de roteiro e alguns pontos interessantes sob essa perspectiva da narrativa.

  • Problemática de caráter: Fei Fei gosta das coisas como elas são e é resistente à mudanças.

  • Obstáculo: Seu pai tem um novo envolvimento amoroso e aparentemente deixou de acreditar na lenda de Chang'e, uma deusa que mora na lua.

  • Conflito: Fei Fei aceitar essa configuração em sua casa e sua família e a provar a existência de Chang'e.


Jornada do Herói


Trata-se de uma estrutura de história presente em filmes de sucesso e livros best-sellers, pensado e desenvolvido por Joseph Campbell no livro O Herói de Mil Faces. Anos depois, um consultor e roteirista chamado Christopher Vogler escreveu A Jornada do Escritor, usando o metódo de Campbell para as estruturas narrativas de filmes que ele consultava na época.


Abaixo, como forma de aprendizado para mim, inseri de forma resumida os acontecimentos referentes a cada passo que eu pude identificar dentro da estrutura da jornada de Fei Fei.

  1. Mundo Comum: É o momento em que somos apresentados ao mundo de Fei Fei e sua relação com a família, que dura cerca de 8 minutos, com duas músicas. É também quando ficamos sabendo sobre o falecimento de sua mãe.

  2. Chamado à Aventura: A história avança alguns anos e vemos que o pai de Fei Fei está vivendo um novo relacionamento, embora ele não tenha comunicado isso à sua filha. Ela se sente bastante desconfortável, em especial ao notar que ele não acredita mais na lenda de Chang'e.

  3. Recusa do Chamado: Dessa forma, ela não quer aceitar essa mudança de uma nova configuração na família, até porque essa mulher com quem o Pai de Fei Fei está envolvido também tem um filho.

  4. Encontro com o Mentor: Os dois mentores que identifiquei foram Gobi e Chang'e, porém eles só aparecem outros momentos do filme. Esse é o momento em que Fei Fei decide construir uma nave especial para provar a existência da Chang'e.

  5. Travessia do Primeiro Limiar: Ela passa bastante tempo estudando e testando diversas possibilidades até conseguir chegar na lua. Lá ela se depara com uma deusa com personalidade muito diferente da que imaginava. Para provar que Chang'e existe, Fei Fei decide tirar uma foto com ela, a qual pede em troca um "presente" para conseguir voltar com Houyi, seu par romântico.

  6. Provas, Aliados e Inimigos: Para conseguir esse "presente", ela engana três galinhas criaturas da lua que a levam até onde sua nave caiu; ela imaginava que o presente seria sua boneca representando a deusa. Essas galinhas se tornam inimigas, ao abandonar a protagonista no local, mas Fei Fei acaba conhecendo Gobi, outra criatura da lua que foi expulsa do palácio de Chang'e.

  7. Aproximação da Caverna Secreta: Um de seus maiores desafios foi reconquistar o essa boneca que havia sido roubada.

  8. A Provação: Entretanto, esse presente se perde, fazendo Fei Fei desanimar e desacreditar que seria capaz de alcançar seu objetivo.

  9. Recompensa: Ao conversar com Gobi, através de uma canção, ela nota que na verdade o presente era outro: se tratava da metade de uma pedra da lua.

  10. Caminho de Volta: Fei Fei decide voltar para o palácio e entregar o presente para a deusa. Contudo, essa pedra não foi suficiente para manter Chang'e e Houyi juntos novamente, o que fez a deusa entrar em um período de tristeza. Com uma tentativa de ajudar, Fei Fei atravessa uma parede para conversar com a deusa.

  11. Ressurreição: Nesse momento, Fei Fei se lembra de sua mãe e também entra nesse estado de tristeza. A deusa, através de uma canção, tenta ensinar a protagonista a como lidar com o sentimento de luto. Ao fazer isso, ela também aprende a aceitar sua não união com Houyi. Aqui fica evidente esse renascimento da protagonista.

  12. Retorno com o Elixir: Ao voltar para casa, Fei Fei perde sua foto com Chang'e, mas seu elixir é o aprendizado com o luto e agora aceitação de sua nova família, ou seja, sua própria transformação da problemática de caráter.


A temática do filme


Um dos pontos que mais se destaca no filme é a temática do luto. Nos primeiros minutos da animação, após sermos apresentados à infância de Fei Fei, sua mãe falece e a lenda de Chang'e se torna o principal elo entre as duas. Ao chegar na lua e conhecer essa deusa, percebe-se que ambas possuem uma história parecida, além de nenhuma delas saber lidar com esse sentimento de perda e de luto, o que se torna a produção potencialmente bastante emocionante.


Em contrapartida, essa representação acaba por se perder em alguns pontos, com as duas tentando ajudar uma a outra, sem saber lidar com suas próprias questões. Em certo ponto, é estranho ver uma dando conselho a outra mesmo sem ter aplicado na própria vida: é aquela coisa "faça o que eu falo, não faça o que eu faço". Além disso, os personagens que são criaturas da lua trazem um alívio cômico para o filme, o que leva a temática se perder algumas vezes.


Confira abaixo a gravação de Priscilla Alcântara para a música-tema do filme.


Agora me conta se você gostou do filme, se conseguiu identificar esses pontos na narrativa e também o que achou das músicas.

Transparência: Meu site faz parte do Programa de Associados da Amazon.com.br, que permite monetizar o blog com esses links.

Torne-se membro do blog para me ajudar, clicando em Registre-se no topo dessa página, e poder comentar. Não se esqueça de compartilhar esse post com alguém que possa gostar.

Você pode acompanhar minha rotina e jornada como artista no Instagram, alguns vídeos no TikTok, ver meus pins e pastas no Pinterest e outras coisas aqui no Twitter. omatheusdantas_ em todas as redes sociais.

133 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
 
google.com, pub-6502370055970501, DIRECT, f08c47fec0942fa0